top of page
logo.png
download.png
Ativo 1.png
Ativo 1.png
patrocinadores.png
whatsapp.png

Receba nossas atualizações por Whatsapp! Gratuito, relevante e aplicável.

Como tornar o laboratório mais atrativo para novos colaboradores



Organizar e manter uma equipe bem treinada, bem articulada e identificada com sua cultura organizacional é um recurso valioso que se reflete em todos os processos do laboratório, da percepção de eficiência e acolhimento à sua produtividade e manutenção de padrões internos de qualidade. 


Esse é o melhor caminho também para reduzir custos, minimizar a rotatividade e facilitar muito a tarefa da gestão, já que você se sente mais seguro para delegar. Chegar a esse patamar leva tempo, mas você pode encurtar esse percurso cercando-se de boas dicas e recomendações, as chamadas estratégias de recrutamento, para criar um bom ambiente corporativo, e tornar seu laboratório um destino cobiçado no mercado de trabalho, atraindo talentos das cidades vizinhas e até da concorrência. Vamos a elas?


Antes de mais nada, é importante fazer uma espécie de engenharia reversa e entender quais as características que mais afastam os bons colaboradores, quando se trata do ambiente de trabalho. No topo da lista aparecem o relacionamento tóxico com a gestão, competitividade e disputas desnecessárias, gestão apática, lideranças controladoras, sobrecarga de trabalho e uma condição descrita como “clima ruim”, quando os colaboradores não se sentem confortáveis para expressar tantos suas dúvidas como suas contribuições para a melhoria da empresa. 


Como se vê, o papel do gestor deve ser ativo e ele deve manifestar um interesse real em trabalhar essas questões, para chegar a promover as qualidades que tornarão sua empresa um oásis desejável dentro das turbulências que costumam cercar o ambiente de trabalho de grande parte das empresas. Não vale falar uma coisa e fazer outra! Agora sim, confira!


Para atrair Currículos melhores, primeiro deve-se olhar para a própria empresa e verificar os diferenciais oferecidos.

Criar uma cultura organizacional positiva - Talvez sua cultura organizacional esteja tão internalizada, e há tanto tempo, que nem lhe ocorra que ela precise de mudanças. Mas a sociedade evolui o tempo todo, e sua empresa está inserida nela. Formas de relacionamento e de produção que funcionavam no passado não funcionam mais agora, e isso pode ficar claro ao observar como seus colaboradores se relacionam entre si e com os clientes. Existe um clima de relativa descontração, ou eles parecem temerosos a cada passo, evitando trazer críticas e sugestões? 


Realizar uma análise do clima na organização - Para que você promova com mais segurança essa verdadeira autocrítica, pode ser interessante realizar uma pesquisa de clima, que nada mais é do que analisar alguns indicadores que dão sinais da atmosfera que cerca seu ambiente de trabalho. Esses indicadores podem ser 1.Taxa de rotatividade, ou o turnover; 2.Absenteísmo, a quantidade de faltas ao trabalho; 3.Produtividade; 4.Volume de retrabalho, a necessidade de corrigir e refazer tarefas, que pode indicar desatenção ou desinteresse; 5.Quantidade e frequência de reclamações trabalhistas. 


Outros indicadores são de natureza mais subjetiva, e nesse momento, é mais importante ler nas entrelinhas do que perguntar diretamente, então dedique algum tempo a observar. Fatores como a percepção de qualidade de vida dos colaboradores, relacionamento entre líder e liderados, integração entre a equipe entram nesse quesito. 


Criar canais fortes e seguros de comunicação interna - Organize reuniões periódicas de feedback, e lembre-se sempre de que os maiores propagandistas do seu laboratório, quando se tratar de torná-lo desejável para outros profissionais, são seus próprios colaboradores atuais. Importante: seja o exemplo do padrão de comportamento que deseja naturalizar no laboratório, com suas próprias atitudes. E não esqueça também de estimular e promover ações internas que humanizam o ambiente de trabalho, como reuniões de confraternização no final do ano, felicitações de aniversário, encontros em torno de ações de voluntariado, etc. E divulgue essas atividades em suas redes! 



Treinar lideranças e investir em capacitação - Este é um tópico tão importante que apesar de poder ser incluído entre os quesitos de uma cultura organizacional positiva, merece um espaço todo seu neste artigo. Parte das qualidades de liderança emanam de forma natural em algumas pessoas, e você pode aprender a identificá-la para saber delegar na hora certa à pessoa certa. Vale a pena instruir-se sobre as soft skills, aquelas características inatas que fazem de um colaborador a pessoa mais talhada para aquela posição, como facilidade de comunicação e empatia, ou um senso aguçado de organização. Mas outra parte significativa das habilidades de liderança dependem de treinamento e reciclagem constantes. Por isso, inclua programas periódicos de reciclagem em seu planejamento anual, e informe-se sobre agências especializadas em capacitação e treinamentos. 


Oferecer benefícios interessantes e planos de carreira - Não importa a função desempenhada, todo mundo deseja crescer. Trabalhar sem perspectivas de desenvolvimento leva à estagnação e ao quadro já denominado “quiet quitting”, quando o colaborador desiste do engajamento com o trabalho e faz apenas o necessário, de forma mecânica e sem esperar realização. Um estado de quiet quitting, além do mais, é contagioso; outros colaboradores podem começar a perder o interesse em dar o seu melhor nas atividades regulares. O antídoto é oferecer, de um lado, benefícios realmente interessantes, e de outro, planos de carreira que funcionam como um estímulo à permanência e investimento na empresa.


A remuneração é apenas um dos fatores levado em consideração pelos candidatos.

Os benefícios podem ser de várias naturezas, mas não é preciso ir a extremos como as já folclóricas empresas americanas de software que disponibilizam pista de skate e mesa de sinuca aos colaboradores. Um plano de saúde ou cartão de benefícios para descontos em consultas médicas é uma ótima ideia além dos básicos como vale transporte e vale alimentação. O gympass, que permite acesso a academias, é também  uma alternativa muito atraente, assim como programas de descontos em lazer e cultura. 


Mas os planos de carreira são a cereja do bolo. “Possibilidade de crescimento” é uma fórmula mágica na descrição das colocações atualmente, e oferecê-la pode ser seu melhor diferencial. Mesmo laboratório pequenos podem elaborar um esquema de upgrade nas colocações, baseados em mérito ou tempo de serviço, ou uma combinação dos dois.



Investir em marketing de atração de talentos - Nenhuma das medidas acima será realmente efetiva se você não deixar o mundo saber. E as redes sociais estão ganhando rapidamente a preferência entre os canais para busca de colocações, seja como fonte principal ou para complementar as informações para os interessados no emprego. Por isso, não economize na divulgação de tudo que tem a oferecer, para atrair aqueles talentos cobiçados. Anote estas dicas:


Compartilhar fotos e vídeos bem produzidos mostrando os encontros ou celebrando conquistas da sua equipe. Também vale divulgar ações de voluntariado agregando seu pessoal em torno de uma causa! Mostre o dia a dia do laboratório de forma criativa e lúdica, sem exageros é claro. Publique entrevistas breves com o funcionário mais antigo, o mais novo, ou aquele que revelou talentos diferenciados, como a atendente que faz prodígios na coleta infantil.



Contratar uma agência especializada para gerir suas redes sociais pode ser uma ótima solução, se sentir que não tem a disponibilidade de tempo ou seus esforços nesse sentido não estão apresentando resultado na forma de adesão e crescimento de demanda, dois indicadores importantes do alcance dessa divulgação.


Investir um cuidado especial na divulgação da vaga fará com que ela pareça realmente convidativa. Informe todos os pontos relevantes que já mencionamos, como os benefícios e plano de carreira, possibilidade de crescimento, ambiente acolhedor, e não esqueça é claro de explicitar também os pré-requisitos para a contratação. 


Realizar eventos online como palestras curtas, mini cursos ou lives é uma forma de manter o laboratório no top of mind dos possíveis futuros colaboradores, e funciona nos dois sentidos, pois você terá oportunidade de conhecer os talentos disponíveis no mercado.



Além de confirmar a veracidade das qualificações formais apresentadas pelos candidatos, é interessante promover atividades coletivas no momento das entrevistas, de forma que possa observar como o pretendente se sai em contato com os eventuais colegas de trabalho. Isso lhe dará também percepções melhores sobre seus talentos. Se tem dúvidas em como realizar essa seleção, invista numa assessoria de recrutamento especializada, amparada por profissionais especializados nesse tipo de análise. A médio e longo prazo, esse investimento pode valer muito a pena!


Comentários


bottom of page