Clique e conheça nossos apoiadores:

Logo aceleralab.png
Cepheid-logo-horizontal.png
SBAC.png
logo.png
whatsapp.png

Receba nossas atualizações por Whatsapp! Gratuito, relevante e aplicável.

Recrutamento e Seleção: Quais habilidades procurar em seus candidatos




Procurar algumas habilidades específicas na contratação de novos colaboradores pode acarretar na melhora do atendimento, além de gerar bons resultados estratégicos para o laboratório. Portanto, para garantir uma melhor sinergia de trabalho, o gestor pode, dependendo do cargo, dar preferência para as habilidades comportamentais dos funcionários em detrimento da experiência ou de algumas habilidades mais técnicas que podem ser facilmente aprendidas no exercício da função.


Habilidades comportamentais X Habilidades técnicas


Também conhecida na área de Recursos Humanos (RH) como soft skills, as habilidades comportamentais ou interpessoais têm relação direta com traços da personalidade do candidato e com o seu desenvolvimento pessoal, o que resulta na “atitude” ou na maneira como ele age com o ambiente e as pessoas ao seu redor.


Ao contrário das competências mais técnicas (hard skills), que são relativas ao conhecimento e à habilidade, e que são desenvolvidas por meio da formação acadêmica, da educação formal e da experiência no mercado de trabalho, as habilidades comportamentais são mais difíceis de aprender, pois requerem maturidade e capacidade de mudar alguns hábitos pessoais.


Eventualmente, por não darem tanta atenção a uma competência social, os gestores enfrentam muitos desafios na hora de criar sinergia de trabalho entre os colaboradores, causando uma rotatividade (turnover) maior na empresa.


Levantada a importância de se optar pelas habilidades comportamentais dos colaboradores na hora da contratação, a seguir, listamos seis soft skills que são muito procuradas no mercado de trabalho.


As 7 habilidades mais procuradas no mercado de trabalho


1) Trabalho em equipe


Saber trabalhar em grupo talvez seja uma das habilidades mais importantes dentro do laboratório, pois são poucos os setores que dependem de uma única pessoa para funcionar. Aqueles que detêm essa habilidade possuem uma postura mais colaborativa e são capazes de realizar o trabalho em conjunto, uma vez que demonstram mais flexibilidade para lidar com diferentes perfis de colaboradores, o que evita os detestáveis atritos internos.

Além disso, quando trabalham em equipe, os colaboradores são mais propensos a se organizarem em prol de um objetivo comum, trazendo resultados mais rápidos para o laboratório.


2) Liderança


Essa habilidade é a mais procurada para cargos de gestão. Os líderes são capazes de conduzir os colaboradores com efetividade e sinergia de trabalho, motivando-os a darem o melhor de si para alcançar os objetivos do laboratório. No entanto, ao colocar uma pessoa com essa habilidade em um cargo operacional, além de subutilizá-la, é bem possível que o gestor jamais consiga desenvolver uma sinergia de trabalho efetiva e produtiva, devido a atritos relacionados a problemas de hierarquia.


3) Inteligência emocional


A inteligência emocional é extremamente necessária para quem lida com o atendimento, afinal, essa habilidade permite que as pessoas lidem com as próprias emoções e com as emoções daqueles que estão à sua volta.


Quem tem essa habilidade é menos impactado pelas animosidades de clientes e colaboradores, e consegue reverter o clima da empresa facilmente.


4) Comunicação assertiva


Ter uma boa comunicação interna é a chave do sucesso para obter um time produtivo. O colaborador que se comunica bem, além de ter uma boa oratória, usa adequadamente as palavras, transmite o que está pensando com clareza e objetividade e garante que todos compreendam o que está sendo dito. Trata-se de uma habilidade ótima para qualquer cargo do laboratório.


5) Adaptabilidade


Mais do que nunca, em decorrência da pandemia, a adaptabilidade se mostrou uma capacidade necessária para qualquer ambiente de trabalho, pois quem tem essa característica consegue lidar (com mais naturalidade) com as situações estressantes e que mudam a rotina de trabalho drasticamente.


Já aqueles que não têm essa aptidão podem causar conflitos no laboratório por se mostrarem resistentes a mudanças (positivas ou não) na rotina diária.


6) Resolução de conflitos


Possivelmente uma das habilidades comportamentais mais difíceis de se encontrar, a resolução de conflitos reúne, em um indivíduo, mais de uma competência social: a inteligência emocional, a comunicação assertiva e a capacidade de negociar (normalmente inerente à habilidade de liderança).


Um colaborador com essa característica consegue lidar com as adversidades da rotina; já um gestor com essa característica pode levar o laboratório a alçar voos mais altos, pois mantém o time produtivo e motivado, e os clientes, satisfeitos.


7) Domínio de um segundo idioma (hard skill)


Principalmente na área técnica, o colaborador pode lidar diariamente com instruções em outro idioma, sejam elas provenientes de bula de reagentes, sejam dos próprios equipamentos de análises. Nesse caso, ter uma afinidade com um segundo idioma pode evitar incômodos para o laboratório no futuro.



Embora seja possível, é bem improvável que um único candidato reúna todas as habilidades que o gestor procura. Sendo assim, cabe a ele contratar dois ou mais candidatos com habilidades diferentes, mas que se complementam.


Além disso, mesmo que os colaboradores não compartilhem das mesmas habilidades, o importante é o gestor assegurar que eles tenham ao menos uma em comum, a fim de garantir a sinergia na empresa. Este é o caso do trabalho em equipe!


De modo geral, para fazer uma contratação assertiva, é fundamental que o gestor do laboratório identifique quais habilidades são mais importantes para o cargo em questão: se as comportamentais, as técnicas ou mesmo uma junção de ambas.