Clique e conheça nossos apoiadores:

Logo aceleralab.png
Cepheid-logo-horizontal.png
SBAC.png
logo.png
whatsapp.png

Receba nossas atualizações por Whatsapp! Gratuito, relevante e aplicável.

Você tem Medo do Crescimento?




O seu laboratório pode ter todo o potencial para crescer: sempre surgem novas parcerias de negócios, existem oportunidades de abrir uma nova unidade de coleta em cidades próximas, ele possui caixa e possibilidades de se mudar para uma estrutura maior e mais moderna e os clientes e médicos adoram o seu trabalho. Seu negócio dificilmente enfrenta dificuldades financeiras, então crescer parece o próximo passo lógico a fazer. No entanto, logo em seguida problemas começam a acontecer e você se retrai para se manter no controle evitando dar o próximo passo.


Esse comportamento pode estar relacionado com o medo de crescimento? É o que refletiremos a seguir.



O crescimento é, de fato, um movimento obrigatório?


A resposta é: depende. Existem diferentes perfis empreendedores no mercado, desde aqueles que preferem ter um negócio pequeno e mais controlável, até aqueles que gostam de arriscar e imaginam ter uma empresa grande, com vários funcionários. E nenhum desses dois perfis está mais certo ou errado. Frequentemente, vemos pessoas no mercado comentando que não devemos ter medo, que se faz necessário agir de certa maneira para dar certo, mas o que de fato define se o seu negócio deve crescer ou não, e se ele está dando certo ou não, é você quem dita. E ninguém mais.


O ponto crucial é que você precisa escolher se quer ter um laboratório pequeno ou um laboratório maior, pois os ritmos de trabalho são bem diferentes, e, ao fazer isso, estar ciente dos desafios, limitações e benefícios de cada opção. Se você prefere ganhar mais dinheiro e dedicar mais tempo e investimento ao seu negócio, pois tem um perfil mais ativo e liberal, deve estar ciente que precisa planejar o crescimento para evitar lidar com os problemas inerentes a isso. Agora, se a sua escolha é se manter pequeno, com um negócio que depende basicamente do seu esforço, também precisa saber que os ganhos podem ser mais limitados, no entanto, a qualidade de vida pode ser maior, pois você tem mais controle na rotina e mais tempo para desfrutar com a família ou outras coisas.


Se você acha que o movimento de crescimento é algo que deve fazer parte da sua rotina, é momento de planejar. Se você decidiu que não quer crescer mais e que a rotina está lhe suprindo adequadamente, é melhor não ficar ruminando mais essa cobrança de que você deve crescer.


Mas lembre-se: sempre é possível voltar atrás em uma decisão, e sempre é possível mudar de opinião também. O que não pode existir é uma insatisfação constante com a decisão tomada e não fazer nada a respeito disso. O seu bem-estar mental agradece.



E quando estamos diante do medo?


Depois de decidir se a meta do seu negócio é crescer, é hora de pôr o plano em prática. E é nesse momento que muitos gestores começam a encontrar adversidades na rotina que os distanciam do objetivo e que podem estar relacionados com um reflexo inconsciente de defesa frente a algo completamente novo. Ou seja, você está diante de um problema de fato, ou do medo do crescimento?


Um exemplo disso é o gestor se pegar frequentemente “apagando incêndios” em sua rotina. Com o medo do crescimento, junto com o crescimento dos problemas, o gestor acaba encontrando motivos para não lidar diretamente com o desafio, pelo simples medo do desconhecido.


Crescer pode significar abrir mão do controle de algumas tarefas importantes, sob risco de acabar criando uma gestão excessivamente centralizadora, ruim para a sua qualidade de vida e para a fluidez do seu negócio. Como o terreno a ser enfrentado é desconhecido, a tendência de defesa natural do ser humano é refutar tudo aquilo que está fora do controle e do que é desconhecido. Embora você possa ter mais ganhos ao crescer, existem também novos desafios e riscos a serem tomados.


É normal sentir receio, mas quando o medo não é diagnosticado ou tratado, ele pode refletir diretamente no seu negócio. O medo pode nos levar a tomar decisões mais conservadoras, nos impedir de melhorar processos que seriam facilmente resolvidos e, além de tudo, o medo ainda é contagioso. Em pouco tempo, os colaboradores também passam a rejeitar qualquer novidade que você traga para o laboratório, pois também temem problemas como acúmulo de trabalho e incômodos relacionados à mudança da rotina.


Mas calma: tudo tem o seu tempo e você pode lidar com o medo de crescer. Listamos abaixo algumas dicas para você lidar com o medo do crescimento.



1) Arrisque de forma consciente, se baseado em dados:


A melhor maneira de se sentir mais seguro com uma grande decisão é sempre olhar os dados que estão à sua disposição. Se você for abrir um novo posto de coleta, avalie o potencial de clientes, os convênios a serem atendidos e até mesmo a probabilidade de criar uma parceria com clínicas. Revise as demonstrações financeira e preveja o quanto irão impactar os custos do imóvel, e de novos funcionários. É prudente revisar os estoques para o novo fluxo de atendimento, com uma margem de segurança para compras maior.



2) Cuidado com os gurus e suas promessas milagrosas


Não existem fórmulas mágicas para o sucesso. Mas o uso de algumas ferramentas aplicadas da forma correta podem auxiliar a gestão do laboratório a alcançar o objetivo esperado, como é o caso da Matriz SWOT, e o ciclo PDCA, amplamente divulgado por Vicente Falconi e que citamos na pauta "Como sobreviver em um ambiente competitivo". O crescimento exige muito investimento de capital humano e financeiro, por isso desconfie de qualquer facilidade vendida por aí.


Vale salientar também que nem sempre copiar a estratégia de sucesso de alguém do mercado vai garantir que o sucesso chegue ao seu negócio da mesma maneira, como pode ser visto na pauta "Riscos de se Copiar a Estratégia de Outros Laboratórios".



3) Descubra a origem do seu medo


Se o medo estiver te atrapalhando, procure entender a origem dele e o que pode ser feito para superá-lo. Se o medo for relacionado ao aumento de custos, por exemplo, talvez seja necessário fazer uma reserva financeira antes de se arriscar. Ou se for a respeito de conseguir coordenar uma equipe de novos colaboradores, talvez um curso de RH possa lhe dar a confiança que falta. Uma boa técnica para encontrar a origem de qualquer problema é a técnica dos 5 por quês, que já citamos na pauta "O que Atrasa a Rotina do Laboratório".


Uma coisa você pode ter certeza: o processo de crescimento geralmente é doloroso. São novos desafios a serem superados, com novos tipos de clientes, e geralmente com custos iniciais altos, que não podem ser desconsiderados. Mas com um bom planejamento financeiro, aliado a uma boa empresa de Marketing, suas chances de sucesso são maiores.