whatsapp.png

Faça parte da nossa rede de apoio ao empreendedorismo laboratorial e receba notícias em seu e-mail e material bônus em seu Whatsapp. 

Clique e conheça nossos apoiadores:

Logo aceleralab.png
Cepheid-logo-horizontal.png
SBAC.png
logo.png

Resumo: Variáveis que Influenciam no Sucesso do Laboratório


Você não pôde ir ao Congresso Brasileiro de Análises Clínicas ou perdeu a nossa palestra no Fórum de Proprietários? Não tem problema, nós preparamos um resumo dos maiores tópicos para você!

Antes de mais nada, é com muito orgulho que comemoramos hoje o aniversário de um ano do Aceleralab. Na contramão do que se dizia há algum tempo atrás, que o gestor do laboratório não se interessava por gestão laboratorial, nós temos satisfação de anunciar que hoje temos mais de 1500 gestores inscritos de todos os estados brasileiros (e mais três países – Bolívia, Cabo Verde e Portugal). Já postamos mais de 90 matérias e disponibilizamos mais de 10 downloads – e tudo gratuitamente. A gestão é imprescindível, e cada vez mais pessoas estão se dando conta disso.

É inenarrável a sensação de encontrar com nossos leitores neste congresso e descobrir que nossas pautas servem de inspiração e que estão sendo aplicadas nas mais variadas rotinas, e que de fato estão auxiliando na melhoria do laboratório. Isso nos inspira a querer oferecer cada vez mais conteúdos e soluções que auxiliem nos desenvolvimentos dos pequenos e médios laboratórios.

Muito obrigada por continuar voltando ao nosso portal e contribuindo com sua opinião, compartilhando com seus amigos e equipe e continuar acreditando que a gestão é o caminho!

Variáveis que influenciam o sucesso dos laboratórios

Após várias análises, conversas e trocas de experiências neste primeiro ano do Aceleralab, fomos capazes de separar algumas variáveis que percebemos estarem sempre presentes nos discursos dos gestores de sucesso e serem de grande influência para vários laboratórios do mercado.

Qualidade técnica é o mínimo para o laboratório

Já falamos por aqui que não basta apenas ter qualidade técnica. Embora não seja fácil conseguir a acreditação e manter os processos para garantir a qualidade técnica do laboratório, a qualidade técnica sozinha não é suficiente se não for explorada e apresentada para os pacientes como um diferencial competitivo.

Sabemos que muitos concorrentes que jogam sujo no mercado sequer prezam pela qualidade mínima, e oferecem os exames a preço de custo, mas você só estará concorrendo com eles se não conseguir diferenciar o seu laboratório e apresentar os seus diferenciais de qualidade.

Lembrem-se sempre que se não existe diferenciação entre dois fornecedores, você optará pelo mais barato. Neste caso, se faz necessário apresentar-se para os pacientes. Que selos de qualidade você possui? O que você faz de melhor? Porque o seu hemograma vale R$ 30,00 e o do concorrente R$ 15,00? O paciente precisa compreender a diferença.

A primeira variável: Perceber e Avaliar as Tendências

Fizemos duas pautas este ano sobre tendências: as tendências da gestão laboratorial e a dos pacientes de laboratório. Isso porque laboratórios que conseguem perceber as tendências antes dos seus concorrentes podem extrair mais benefícios (inclusive financeiros).

Sabemos que o mercado não está fácil:

- Tabelas de preços não são reajustadas;

- Exames são vendidos por menos do que a tabela de custo;

- Excesso de demandas judiciais de pacientes e colaboradores.

E por aí segue a lista! No entanto, descobrir tendências nos permite desenvolver vantagens competitivas novas e mais fortes.

Para a nossa sorte, o mercado da saúde para laboratórios de análises clínicas tende a ser bem positivo. Graças a tendência mundial na saúde de focar na medicina preventiva (é mais barato e mais efetivo controlar um problema de saúde antes de acontecer), a demanda por exames laboratórios tenderá a aumentar nos próximos anos.

Outro fator que contribui para a efetividade da medicina preventiva, é que os exames laboratoriais estão se tornando mais complexos e úteis, oferecendo para o médico um panorama muito mais embasado para desenvolver um diagnóstico completo, seguro e efetivo.

No entanto, vale lembrar que é interesse do laboratório apresentar estes exames para o médico. Não se pode esperar que os médicos aprendam por conta sobre esses novos exames diferenciados (e em muitos casos mais lucrativos). O relacionamento com o médico só traz benefícios para o laboratório.

Lembrem-se: os laboratórios estão sempre de olho nas tendências mundiais, e normalmente são pioneiros no mercado brasileiro ao explorarem esse tipo de inovação.

Tendência que já foi tema de mês no Aceleralab: a experiência do paciente.

Tendo em vista que tivemos um mês inteiro para falar apenas da experiência do paciente, seremos breves neste tópico. O mundo está mais exigente e o consumidor se tornou menos tolerante com o erro e o serviço que ele investe.

Sabemos que não é fácil deixar a experiência do paciente dentro do laboratório agradável, pois, afinal, estamos falando de agulhas e sangue. Mas já existem diversos laboratórios de conseguiram essa façanha ao disponibilizar desjejum bem elaborado, atendimento humanizado de ponta, incrementando tecnologias (VR e Leitor de veias) e por aí vai. Só tome cuidado para não aumentar os custos, e não receber o retorno esperado.

Vale salientar que na corrida competitiva para oferecer a melhor experiência do paciente, os laboratórios pequenos podem sair na frente (se desejarem): por terem a estrutura pequena, estão em contato constante com seus clientes. O atendimento é muito mais humanizado. Quantos de vocês não conhecem os pacientes pelo nome?

Variável 2: Adaptar-se aos novos tempos.

Os laboratórios de sucesso se adaptam rápido as necessidades, principalmente porque na era digital os clientes estão em constante mudança e sempre existe algum concorrente interessado em suprir essas necessidades. E isso nos leva a primeira reflexão:

É preciso entender que o laboratório é um negócio. Não estamos falando de vender exames e tratar a saúde como se fosse um comércio, mas passar a enxergar o laboratório como uma instituição que precisa faturar, tem contas para pagar e existe para suprir demandas de saúde da sociedade, como qualquer outro negócio.

Uma prova disso é que não se deve colocar um posto de coleta em um lugar “porque parece uma boa ideia”. É preciso analisar as oportunidades (os clientes realmente precisam de mais um laboratório naquela região?) e fazer as contas para garantir que a unidade seja rentável; e não apenas mais uma conta para o laboratório pagar.

A agilidade na adaptação do laboratório é imprescindível para a velocidade na qual os resultados começaram a aparecer. Graças as sucessões familiares que acontecem no laboratório (já falamos aqui), o sangue novo de filhos e netos que assumem a gestão está permitindo uma maior adaptação das análises clínicas ao novo mercado.

Afinal, os gestores não podem mais se dar ao luxo de se esconderem atrás de microscópios. É preciso estar na recepção nas horas mais cheias do laboratório e se envolver com os problemas do laboratório.

A mão invisível do mercado nunca vai ser favorável aos acomodados, e como foi lembrado pelo Dr. Barcellos – atual Presidente da SBAC – na abertura no congresso, “quem fica parado está andando para trás.”

Variável 3: Divulgar Forças, Melhorar Fraquezas

Os laboratórios de sucesso sabem o que fazem de bom e melhoram sempre o que não estão fazendo tão bem, e as forças do laboratório são a razão pela qual o laboratório se torna competitivo e diferente do seu concorrente.

Já as fraquezas, representam o que o seu concorrente faz melhor e você não consegue acompanhar. Para cada fraqueza sua, tenha duas vantagens competitivas para contrabalançar.

A matriz SWOT é uma ótima forma de analisar as forças e fraquezas. Já disponibilizamos um download no Aceleralab para o laboratório aplicar a SWOT.

Variável 4: Gestão Participativa

Dificilmente você vai encontrar um laboratório de sucesso com uma gestão centralizadora e nada flexível, isso porque os funcionários são uma ótima fonte de informações sobre como anda o atendimento do laboratório, e como o mesmo está atendendo (ou não) as demandas dos seus pacientes. Também vale comentar que um gestor de sucesso sabe que não pode fazer tudo sozinho!

Seus funcionários conhecem seus clientes melhor do que você. Esteja próximo deles. Peça sugestões. Monte reuniões produtivas.

É mais fácil você manter uma gestão participativa se você gosta de lidar com pacientes, já que você vai lidar com pacientes e colaboradores durante todas as tarefas que serão realizadas dentro do laboratório.

Abra a porta da comunicação com seus colaboradores. Tome café com seus pacientes. Eles são o seu melhor termômetro de sucesso do laboratório.

Variável 5: Controle de Gastos e Recursos.

Você sabe quanto custa um exame no seu laboratório? Pois bem, muita gente não sabe se está lucrando ou perdendo dinheiro com convênios, SUS ou até mesmo o particular quando resolve fazer uma promoção sem avaliar o que vai se ganhar com isso.

Mas a gestão financeira não é apenas sobre isso:

- Combate ao desperdício

- Compras melhores

- Custo dos exames

- Custo da estrutura

Quando queremos aumentar o faturamento do laboratório, a primeira coisa que pensamos é aumentar o número de clientes. Mas isso é bom? A gestão financeira das contas do laboratório é que podem responder a essa pergunta.

É preciso ter certeza de que você consegue entregar ao preço que está recebendo. Senão, pode ser o maior tiro no pé.

Laboratórios de sucesso não montam estratégias de crescimento sem saber o quanto podem ganhar e perder.

O que todas essas variáveis tem em comum? Todas estão relacionadas com a profissionalização da gestão laboratorial.

A gestão não é fácil nem para administradores, e as faculdades não ensinam empreendedorismo ou, quando ensinam, são com professores sem experiência prática.

É preciso dominar todas as áreas de conhecimento, mas isso não significa que você deva desempenhar todas essas funções. O trabalho do gestor é de gerir, afinal, não dá pra fazer tudo sozinho.

É preciso estudar, complementar a formação e se aprofundar cada vez mais neste tema tão importante que é a gestão laboratorial.

Lembre-se que tentar fazer tudo sozinho é muito difícil.

Uma das formas que nós, do Aceleralab, encontramos de ajudar vocês é através da prestação de serviços de marketing específicos para laboratórios de análises clinicas, visando reforçar a marca, presença digital e apresentar os diferenciais do laboratório para o mercado.

A pedidos dos nossos leitores, desenvolvemos um produto específico para laboratórios melhorarem o seu posicionamento. No site aceleralab.marketing você pode verificar melhor os tipos de serviços que podem ser prestados pela nossa equipe.

E aí, você conhece mais alguma variável de sucesso? Conta pra gente!

#sucesso #variáveis #laboratório