whatsapp.png

Faça parte da nossa rede de apoio ao empreendedorismo laboratorial e receba notícias em seu e-mail e material bônus em seu Whatsapp. 

Clique e conheça nossos apoiadores:

Logo aceleralab.png
Cepheid-logo-horizontal.png
SBAC.png
logo.png

Posto de Coleta para Crianças: 5 Dicas e um Case para Inspiração


Se você possui filhos, entende a necessidade do espaço Kids em restaurantes e shoppings. Com o laboratório, não é diferente. Na matéria de hoje apresentamos cinco dicas para criar seu espaço para a garotada e, para se inspirar, contamos o case do Dr. Omar Amin Ghanem Filho, um dos sócios do Ghanem Laboratório. O laboratório possui um posto de coleta específico para crianças, o Ghanemzinho.

Pontos de atenção na hora de montar o espaço kids:

1 – Segurança em primeiro lugar

Evite o acesso das crianças a áreas de risco do laboratório, mesmo que para isso seja necessária a instalação de grades de proteção e travas em janelas e portas. Os móveis devem possuir cantos arredondados e sem detalhes em vidro, para evitar rachaduras ou até mesmo quebrar com o peso de alguma criança. Dê preferência aos móveis de plástico, que seguem todos os padrões anteriormente citados, além de serem resistentes e de fácil limpeza e manutenção. Brinquedos que possuem peças pequenas devem ser evitados, para que não ocorram sufocamentos. 2 – Ao alcance das mãos e para todos

A criança pode pensar que é inferior por não conseguir manipular um brinquedo ou por não poder fazer parte de determinada atividade. O laboratório deve ser aconchegante, acessível e inclusivo aos pequenos. Certifique-se de que todos os objetos estão dispostos em uma altura ao alcance das crianças e que as atividades oferecidas incluem também as com necessidades especiais.

3 – Além da tecnologia

Sempre que possível, é importante estimular o desenvolvimento cognitivo, evitando a overdose de tecnologia trazida pelos celulares e tablets. Aposte em atividades mais interativas, e que estimulem o acompanhante a ter um momento divertido com a criança. Uma pequena biblioteca, por exemplo, promove um importante contato dos pequenos com os livros, e estimula a leitura de histórias.

Outras opções são brinquedos pedagógicos ou que necessitam uma maior análise para serem solucionados, como quebra-cabeças e cubo mágico. Brinquedos diferentes do que as crianças têm em suas casas as deixam animadas e aumentam a possibilidade tornar o seu laboratório o preferido da família.

4 – Adapte-se ao espaço

A falta de espaço não é um impeditivo para montar um espaço kids no seu laboratório. O espaço pode conter desde uma casinha de bonecas para áreas fechadas e pequenas, ou mesas e cadeiras infantis, de preferência com um chão acolchoado com piso em EVA. Já para espaços maiores, parquinhos fazem a alegria da garotada enquanto esperam atendimento.

5 - Equipe preparada

Um posto de coleta kids deve estar preparado para receber a criança enquanto cliente. Toda a equipe de atendimento deve ser treinada para lidar com crianças — que muitas vezes tem medo de agulha, corre para todo lado e chora. Os funcionários devem conseguir lidar com os contratempos com simpatia e paciência.

O treinamento da equipe deve ser focado em como abordar as crianças, e a coleta provavelmente será diferente. Cada criança irá reagir de uma maneira, e muitas vezes mais de um profissional deverá ser acionado para garantir um bom atendimento.

Para se Inspirar: Dr. Omar e o Posto de Coleta Ghanemzinho

Criado em 2011, o Ghanemzinho é uma unidade exclusiva para atendimento a crianças do Ghanem Laboratório. A diferença pode ser vista logo na entrada, onde a recepção é feita em salas individualizadas para proporcionar mais conforto às famílias.

Enquanto aguardam a vez, uma antesala repleta de brinquedos e jogos distrai os pequenos, fazendo-os esquecer o porquê estão ali. Após a realização dos exames, os pequenos saem com sucos e bolachas para levar boas lembranças do laboratório.

ESPAÇO PARA TODA A FAMÍLIA

Engana-se quem pensa que o espaço kids é apenas para a garotada. Segundo o Dr. Omar “quem cuida da criança conquista a família”. Por isso, o posto apesar de ser infantil, coleta materiais de todos os públicos, desde que acompanhados de uma criança. A idéia é facilitar a coleta de pais que precisam levar os filhos para o laboratório.

ATENÇÃO AOS DETALHES

O Dr. Omar nos conta que quando pensou no espaço kids ele fez todo um trabalho de pesquisa para acalmar as crianças. Através de estratégias recreativas ele transformou seu laboratório em uma “casa de brinquedos”. O posto conta com um lago de pescaria, parque externo, fantasias e espelhos, e muitos brinquedos. A única coisa escondida são as salas de atendimento e coleta, para conforto dos pequenos.

Na hora da coleta, agulhas especiais e uniformes que agradam as crianças, além do desenho animado da recepção continuar sendo reproduzido na sala de coleta. O medo de agulhas deu espaço para um outro problema: as crianças não querem sair do laboratório!

EMPRESA DE PESSOAS

Para que a estrutura do posto de coleta funcione corretamente, mais do que o design divertido, é preciso ter funcionários comprometidos. Para Isso o Dr. Omar comenta que o processo de seleção do laboratório é baseado na criticidade dos candidatos. As pessoas questionadoras são o perfil mais procurado, e, após a contratação, são estimuladas a participar da revisão do planejamento estratégico. Segundo ele, 97% dos colaboradores participam desta tarefa.

A IMPORTÂNCIA DA PESQUISA

Se engana quem pensa que o laboratório decidiu repentinamente investir no posto de coleta infantil. O projeto demorou 6 anos entre planejamento e execução. Confira a estratégia recomendada pelo Dr. Omar:

1. Unidade com viabilidade: A unidade escolhida para receber o espaço kids deve possuir viabilidade prévia. Assim, o espaço é um complemento para o faturamento da unidade, e não a fórmula mágica para rentabilizar o posto.

2. Volume de público no Banco de Dados: Deve-se pesquisar no cadastro de clientes do laboratório quem são os pacientes que mais utilizam o serviço laboratorial. Assim, você terá uma inferência real de quem é o público que frequenta o seu laboratório.

3. Pesquisa com o Público recorrente: É preciso pegar o telefone, ou após a coleta fazer perguntas para os maiores frequentadores do laboratório. Eles podem comentar quais são as necessidades específicas para melhor atendê-los, além de dar um feedback interessante sobre como o seu laboratório está funcionando hoje.

-----

** O Dr. Omar Amin Ghanem Filho é sócio administrador do Grupo Ghanem, graduado em Farmácia-Bioquímica, Administração e Mestre em Gestão Estratégica das Organizações. Contato: omarfilho@grupoghanem.com.br

----

E você, como faz a recepção da crianças no Laboratório? Conte para a gente!

#postodecoleta #marketing