whatsapp.png

Faça parte da nossa rede de apoio ao empreendedorismo laboratorial e receba notícias em seu e-mail e material bônus em seu Whatsapp. 

Clique e conheça nossos apoiadores:

Logo aceleralab.png
Cepheid-logo-horizontal.png
SBAC.png
logo.png

Dicas para Acabar com a Procrastinação no Laboratório


Na pauta de hoje, iremos abordar um dos maiores inimigos da produtividade, que assola tanto o gestor quanto o funcionário do laboratório: a procrastinação! Embora seja comum adiar alguma tarefa, devido à necessidade de mais tempo e/ou de informações para tomar uma decisão, ou ainda pelo surgimento de algum assunto mais urgente para resolver (o famoso “apaga incêndio”), atrasos contínuos podem se configurar como um hábito, e, dessa forma, tornar-se um problema para a gestão.

Identificando o comportamento procrastinador

A procrastinação se caracteriza quando priorizamos a realização de tarefas menos urgentes, ou prazerosas, em detrimento das mais urgentes e importantes, que normalmente envolvem mais trabalho e são menos agradáveis. Três características definem uma atitude procrastinadora: desenvolver tarefas contraproducentes, desnecessárias ou demasiadamente demoradas.

Os tipos de procrastinadores

Há cinco tipos de procrastinadores:

Procrastinador perfeccionista

Esse tipo de procrastinador tem tanto medo de errar e ser julgado por isso, que acaba perdendo muito tempo nos detalhes da tarefa a ser desempenhada, deixando, assim, de focar no objetivo principal. Quase sempre, entregam o trabalho em cima do prazo e com o resultado pouco efetivo para o laboratório.

Procrastinador impostor

Fomentado por um ambiente de trabalho cujo objetivo é agradar o chefe, em detrimento da resolução de um problema, esse tipo de procrastinador se desenvolve quando a pessoa, por medo de ser taxada de incompetente, acaba monopolizando todo o tipo de trabalho para reafirmar sua responsabilidade. Além de ser um comportamento perigoso, que pode criar uma gigantesca “bola de neve” de pendências que nunca se resolvem, a pessoa corre o risco de desenvolver depressão.

Procrastinador deprimido

É aquele que posterga as atividades cruciais para a empresa por considerá-las muito chatas ou desagradáveis de se realizar. Esse tipo de procrastinação pode ser facilmente encontrada quando o colaborador desempenha atividades bastante repetitivas ou, ainda, quando o gestor não apresenta nenhum tipo de feedback sobre a qualidade do trabalho desempenhado pelo funcionário, podendo, muitas vezes, levar o indivíduo a um grande descontentamento com suas atividades.

Procrastinador sobrecarregado

Ocorre quando a pessoa se encarrega (ou é encarregada) de uma quantidade imensa de tarefas que superam a sua capacidade de produção. Nesse caso, são tantas atividades a serem realizadas, que o indivíduo fica sem saber por onde começar, o que pode gerar um bloqueio mental e prejudicar a resolução de suas atividades.

Procrastinador estressado

Muitas pessoas pensam que trabalham melhor sob pressão, pois acreditam que os picos de ansiedade as ajudam a produzir mais. Por essa razão, acabam deixando a conclusão das tarefas para a véspera do prazo de entrega. No entanto, além de correrem o risco de não conseguir entregar dentro do prazo, as chances de comprometer a qualidade do serviço são maiores.

Identificou-se com algum dos perfis acima? Não se preocupe, ainda dá tempo de mudar. Vamos as dicas!

Dicas para se livrar da procrastinação

1. Identifique o que motiva a sua procrastinação

Descobrir que tipo de procrastinador você é ajuda a eliminar o mal “pela raiz”. Se o que influencia você a procrastinar é o fato de estar sobrecarregado, delegar tarefas para terceiros e organizar uma lista de prioridades, com prazos de entrega, podem ajudá-lo a encarar a rotina com mais calma e menos procrastinação. Porém, se você é um procrastinador deprimido, pode ser a hora de reavaliar se o seu cargo e as atividades que você desempenha no laboratório têm realmente conexão com os seus objetivos de vida.

2. Organize-se

Seja através de anotações em um caderninho ou um kanban bem estruturado, organize a sua agenda antes de começar a trabalhar. Ordene as tarefas, primeiramente, por prazo de entrega/prioridade e, em seguida, por complexidade.

3. Realize tarefas possíveis e trace prazos realistas

Não aceite nenhuma tarefa ou prazo impossível de se concretizar, pois esse é um jogo que você perde antes mesmo de começar. Se o prazo não for suficiente, seja sincero consigo mesmo e com os demais envolvidos, que criam expectativas que jamais se tornarão realidade. Se a tarefa não está ao seu alcance e depende de terceiros, tente encaminhá-la com antecedência, para que os encarregados também tenham tempo hábil de resolver o problema. Já se a tarefa for impossível de ser concretizada, nem perca tempo com isso! As outras pendências resolvíveis da lista estão à sua espera.

4. Faça a tarefa mais difícil primeiro

Seja uma tarefa mais difícil, ou menos prazerosa, não deixe para depois, pois as chances de você estar cansado ou desmotivado demais para fazê-las são maiores. Comece o dia com o mais difícil, e termine com o que for mais fácil. Você concluirá sua jornada de trabalho com uma sensação de dever cumprido, além de várias pendências resolvidas.

5. Dedique um tempo para a tarefa em questão

Faça uma tarefa por vez e dedique um período exclusivo para cada uma, sem a interferência de outros colaboradores ou distrações externas, como o uso de Whatsapp, por exemplo. Ao concluir a pendência, faça uma pausa: tome um café ou converse com alguém. Você verá que a sua produtividade aumentará muito sem as distrações irrelevantes que ocorrem ao seu redor.

6. Terceirize o que você não gosta muito de fazer

Se é possível delegar, terceirize o que você sabe que vai adiar, mas tome cuidado com as tarefas que dependem do seu senso crítico; e jamais deixe de revisar o que foi feito por outras pessoas, porque o resultado de uma tarefa delegada não isentará você da responsabilidade final.

7. Recompense a si mesmo

Para se sentir estimulado a continuar lutando contra a procrastinação, ao concluir uma tarefa complexa ou demorada, recompense a si mesmo. A procrastinação gera uma culpa que nos persegue até mesmo nos períodos de descanso. Por isso, quando a recompensa é merecida, aproveite-a!

Se, mesmo com todas essas dicas, não for possível se livrar da procrastinação, talvez seja o momento de repensar os seus atos e suas responsabilidades. O mais importante para o indivíduo é encontrar a felicidade e a realização na vida pessoal e profissional. Sendo assim, nunca é tarde para mudar seus hábitos a fim de conquistá-las.

“Nunca deixe para amanhã o que você pode fazer hoje” - Benjamin Franklin

#procrastinar #procrastinação #laboratório #análisesclínicas