Clique e conheça nossos apoiadores:

Logo aceleralab.png
Cepheid-logo-horizontal.png
SBAC.png
logo.png
whatsapp.png

Receba nossas atualizações por Whatsapp! Gratuito, relevante e aplicável.

[Vídeo] Aceleratalks: A Importância do diagnóstico diferencial de vírus respiratórios



Um paciente com mais de 60 anos, que possui diabetes e hipertensão arterial, chega para receber atendimento médico com tosse e febre. Devido ao cenário pandêmico, a primeira desconfiança é que seja a COVID-19, mas, com a reabertura do comércio e a flexibilização das medidas de segurança e distanciamento, outras gripes e patógenos podem se espalhar e serem facilmente confundidas com o Sars-Cov-2. Esse é o tema do primeiro Aceleratalks, o novo projeto audiovisual do Portal Aceleralab, que recebe a Dra. Clarisse Martins Machado, e já está disponível para ser assistido.


A COVID-19, Gripe A, Gripe B e Vírus Respiratório Sincicial (RSV) são 4 vírus respiratórios diferentes, mas que apresentam os mesmos sintomas e formas de transmissão, e demandam profilaxias específicas. Então, como oferecer um diagnóstico definitivo no meio de uma pandemia, na qual cada segundo de espera impacta diretamente na resposta ao tratamento médico?


Segundo a Médica Infectologista Clarisse Martins Machado, a resposta está na triagem. Ela atualmente é a Coordenadora do Projeto de Controle de Infecções em Transplante de Células-tronco da Fundação Amaral Carvalho de Jaú, e comenta que antes da pandemia, o vírus sincicial respiratório era a maior preocupação na unidade, pois quando ocorre uma infecção em até duas semanas após o transplante, a taxa de mortalidade fica próxima a 80%.


“Agora com o SARS-CoV-2, as plataformas multiplex acabaram auxiliando os médicos a diagnosticarem mais rapidamente quando é o caso de um outro vírus respiratório, sem a necessidade de uma nova coleta. No caso de Influenza, quanto antes o diagnóstico for feito, melhor para o paciente, pois o antiviral funciona melhor quando administrado na fase inicial, em até 3 dias”, reforça Clarisse.


A partir do momento que é possível diagnosticar rapidamente o vírus respiratório, o médico tem a segurança de que está encaminhando o paciente para as medidas de contenção necessárias e, assim, reduzindo a circulação dos vírus respiratórios. O vídeo com a entrevista realizada com a Dra. Clarisse Martins Machado pode ser visto em duas versões: uma versão reduzida de 20 minutos, com os principais pontos, e uma ampliada, com 40 minutos.





CEPHEID LANÇA NOVO CARTUCHO PARA A DETECÇÃO DE VÍRUS RESPIRATÓRIOS



A Cepheid, empresa mundialmente reconhecida pelo avanço das suas soluções de biologia molecular, traz para o Brasil um novo cartucho para o seu já conhecido GeneXpert: o PCR 4-plex, que detecta simultaneamente Influenza A e B, RSV e SARS-CoV-2. Ao contrário dos testes de antígeno, o teste quad procura o material genético destes quatro vírus através de uma reação em cadeia da polimerase, o PCR. O método se mostra muito mais preciso do que a abordagem de antígeno.


A tecnologia inovadora do GeneXpert substitui as várias etapas que antes eram necessárias para a realização dos testes PCR por um processo simplificado, que entrega resultados em menos de uma hora. Aderente para todas as rotinas, o equipamento GeneXpert possui diversos modelos, incluindo uma versão que suporta um único cartucho até versões capazes de analisar 80 cartuchos de testes variados simultaneamente.


Quem já possui o equipamento em sua rotina, não necessita de nenhuma adaptação. O GeneXpert ja está preparado para realizar as análises do 4-plex, no mesmo aparelho que já roda mais de 30 tipos de diferentes exames laboratoriais. Consulte os outros cartuchos disponíveis para o GeneXpert clicando aqui.


Quatro vírus, sintomas semelhantes, e formas distintas de tratamento. Auxilie no rápido diagnóstico de vírus respiratórios com o Xpert Xpress-SARS-CoV-2-Flu-RSV, que irá elevar as suas possibilidades dentro do laboratório.


Para falar com um atendente da Cepheid, clique aqui.