whatsapp.png

Faça parte da nossa rede de apoio ao empreendedorismo laboratorial e receba notícias em seu e-mail e material bônus em seu Whatsapp. 

Clique e conheça nossos apoiadores:

Logo aceleralab.png
Cepheid-logo-horizontal.png
SBAC.png
logo.png

Tempos Atuais, por Dr. Irineu Grinberg


Post Autoral produzido por Dr. Irineu Grinberg

A evolução do segmento laboratorial tem sido extraordinária nos tempos mais recentes. Os processos de automação e robotização, associados ao crescimento vertiginoso da tecnologia da informação, proporcionaram aos estabelecimentos laboratoriais a possibilidade de evoluir e incrementar um atendimento muito melhor ao cliente. E, desta forma, poder garantir qualidade, presteza, auxílio fundamental ao diagnóstico clínico, celeridade no tratamento e à prevenção de enfermidades.

Essa evolução naturalmente proporcionou também um extraordinário aumento na solicitação de exames rotineiros e de maior complexidade. Está criado um caminho, de uma única via e sem volta. Os procedimentos laboratoriais serão cada vez mais solicitados, pois não mais se admite clínica e demais especialidades médicas sem a participação efetiva e fundamental do laboratório de análises clínicas. O dado mais contundente e incontestável dessa afirmação é verificável pelo consumo de tubos de coleta de sangue no país. São adquiridos e consumidos 50 milhões de tubos a cada mês.

"Os procedimentos laboratoriais serão cada vez mais solicitados, pois não mais se admite na clínica e demais especialidades médicas sem a participação efetiva e fundamental do laboratório de análises clínicas."

Há muito tempo é do conhecimento de toda a cadeia de saúde que 70% dos diagnósticos clínicos e 90% dos critérios de cura de enfermidades, ou alta hospitalar são confirmados através do laboratório. Da mesma forma, ocorre nas ações de prevenção, no pré-natal em medicina do trabalho, doenças ocupacionais, admissionais e demissionais.

Portanto, não existe procedência nas contestações de autoridades vinculadas à Saúde Pública em relação à quantidade e aos percentuais de normalidade dos exames laboratoriais solicitados e realizados através do Sistema Único de Saúde. Exames laboratoriais com resultados expressos dentro dos valores de referências são totalmente compatíveis com os procedimentos de prevenção, e desejáveis em todas as rotinas de investigação clínica. É bem mais econômico gastar em prevenção do que em terapias ou internações.

A busca incessante pelos novos e modernos equipamentos, inclusão nos sistemas de qualidade e vinculação aos mais atuais processos de gestão são verificadas a todo o momento. Os laboratórios do país, independentemente de porte, estão continuamente à procura de novas soluções de trabalho, sempre visando à melhoria contínua, e com isto fornecer aos clientes a maior e melhor resolutividade possível.

Entretanto, implantar todas as melhorias, de forma voluntária ou no cumprimento das legislações, implicam em elevação de custos. A grande incógnita é saber até quando eles poderão ser suportados. As nossas principais autoridades ligadas ao Ministério da Saúde deveriam transferir a sua inconformidade à carga tributária extorsiva a que são submetidos os laboratórios, sugerindo à equipe econômica algumas desonerações, notadamente àqueles que atendem ao SUS.

Da mesma forma, recomendarem às Prefeituras Municipais a isenção do ISSQN, pelo menos àqueles estabelecimentos laboratoriais vinculados ao serviço público. Em algumas, não poucas cidades, a alíquota cobrada chega aos 5% do faturamento bruto. Poderiam, também, diligenciar junto aos bancos oficiais linhas de financiamento a juros palatáveis, para que os laboratórios possam adquirir mais e melhores equipamentos, ampliar e modernizar as suas instalações. Deveriam recordar também que, desde a implantação do Plano Real, em 1994, não houve sequer uma correção da tabela para todos os procedimentos laboratoriais. São 23 anos.

Essas atitudes valem também para a Agência Nacional de Saúde Suplementar – ANS, que regula o relacionamento dos prestadores de serviços com as operadoras de planos de saúde, pois, neste enlace, um dos lados sempre tem levado a pior. O foco no cliente, com base substancial em sua segurança, é a meta definitiva e para alcançá-la em sua plenitude existe a necessidade permanente de coalizão de forças.

------

Dr. Irineu Grinberg

Ex-presidente da SBAC

Diretor de Lab-Farm Consult

Contato: irineugrinberg@gmail.com

*Texto gentilmente cedido pelo Dr. Irineu Grinberg ao portal Aceleralab, publicado originalmente na edição de Setembro da Laes&Haes, coluna Opinião (ano 2017/pg. 48)

#temposatuais #análisesclínicas #mercado