whatsapp.png

Faça parte da nossa rede de apoio ao empreendedorismo laboratorial e receba notícias em seu e-mail e material bônus em seu Whatsapp. 

Clique e conheça nossos apoiadores:

Logo aceleralab.png
Cepheid-logo-horizontal.png
SBAC.png
logo.png

Publicações Pejorativas em Redes Sociais: Como Devemos Proceder?




Comumente, somos consultados por Gestores Laboratoriais raivosos diante da notícia de que suas empresas foram alvos de publicações ofensivas em redes sociais, sobretudo no facebook.


Clientes insatisfeitos com o serviço prestado, não raras vezes, postam protestos absurdos e desprovidos de qualquer bom senso, alardeando atendimento supostamente deficitário ou “erros” praticados em exames laboratoriais.


Não restam dúvidas do temor de que estas postagens contribuem para aviltar a boa fama de qualquer empresa, trazendo, inclusive, a ideia de que um trabalho sério e competente possa restar maculado injustamente.


No entanto, devemos ponderar que essas práticas – assim como tantas outras formas de postagens – têm origem em mentes menos favorecidas que norteiam a conduta de pessoas que encontram, nas redes sociais, o necessitado solo fértil para a auto afirmação e a pretensa popularidade.


O problema não está no Laboratório, mas, sim, nas mais diversas carências daqueles que optam por dar publicidade a eventuais dissabores, abstendo-se, inclusive, de buscar a orientação correta ou ao menos solucionar alguma pendência.


A solução – e sempre assim orientamos – não está em responder a estes ataques, posto que somente se estaria contribuindo para o agravamento de uma discussão inócua e dando asas para os delírios ignóbeis de pessoas cujos problemas pessoais são muito mais graves do que o aparente sofrimento narrado na postagem.


Recentemente, atuamos em ação onde a mãe de pequeno paciente inclusive postou imagens “dos graves ferimentos” sofridos pelo filho, os quais nada mais eram do que corriqueiros hematomas havidos quando da contenção de uma criança assustada, cujo desespero era, nitidamente, motivado pelo descontrole emocional da própria genitora.


Na presente data, ainda, tomamos conhecimento de caso idêntico em grande cidade da Região da Fronteira do Rio Grande do Sul, em que mãe despeja em publicação imprópria todas as mazelas pessoais com as quais não tem competência para conviver. De outro lado, é de se ponderar, mostra-se absolutamente desrespeitoso para com a criança publicar imagens do filho em tal condição.


A lógica é sempre a seguinte: não responda e não ataque; cada louco com suas loucuras e o gestor não pode se dar ao direito de manifestar as suas próprias quando do trato de questões relacionadas à sua empresa. Não caia na temerária contradição de ingressar em uma discussão que você mesmo condena.


Publique na página oficial do Laboratório uma nota esclarecendo a população acerca dos riscos de ocorrência de hematomas; não somente em casos de contenção, mas também nas hipóteses de esforço físico após a coleta, por exemplo. Ao orientar a população – e não ingressar em uma discussão sem sentido – o Laboratório demonstra justamente o oposto daquilo que lhe é imputado na malfadada publicação original.


Outra providência absolutamente importante é solicitar às coletadoras que narrem, com suas próprias palavras e de próprio punho, tudo o que aconteceu durante o procedimento: elas certamente lembrarão daquele menino que resolveu incorporar uma entidade justamente no momento da coleta.


Providencie o reconhecimento cartorário das assinaturas nestas declarações; lembre-se que este procedimento indica a data em que foram assinadas, demonstrando, em caso de eventual ação indenizatória, que as mesmas não se constituem meramente em uma prova produzida para fins processuais.


Caso o paciente ou seu representante legal busquem informações junto ao Laboratório, mesmo tendo publicado absurdos em redes sociais, alcance a ele toda atenção e respeito ... demonstre a seriedade e competência de sua empresa.


Você corre o risco de perder um cliente? Ótimo !!! Você não precisa dele !


Aliás, como dizia um nobre Bioquímico da Grécia Antiga: “Se alguém mente sobre você, faça o contrário para que ele se passe por mentiroso”.



Daniel Corrêa Silveira, é Advogado Especialista em Direito Civil e Processo Civil, Proprietário da Daniel Correa Assessoria Jurídica Laboratorial, Assessor Jurídico da Sociedade Brasileira de Análises Clínicas - SBAC, da Confederação Nacional da Saúde-CNS e da LAS-Laboratórios Associados.

Contatos: (51) 99563.8988 e contato@danielcorrea.com.br