whatsapp.png

Faça parte da nossa rede de apoio ao empreendedorismo laboratorial e receba notícias em seu e-mail e material bônus em seu Whatsapp. 

Clique e conheça nossos apoiadores:

Logo aceleralab.png
Cepheid-logo-horizontal.png
SBAC.png
logo.png

O que Fazer na Falta de Profissionais Qualificados? Parte 1


Frequentemente nossos leitores comentam em nossos canais de comunicação sobre a dificuldade de encontrar profissionais qualificados para o atendimento, coleta e parte técnica no laboratório. Se nos grandes centros esse problema é recorrente, imagine nas pequenas cidades, com menos de 5 mil habitantes! Por isso, na pauta de hoje, damos algumas sugestões para driblar a falta de profissionais qualificados.

Existem inúmeros fatores que podem influenciar na dificuldade de busca por profissionais qualificados, e para que você entenda um pouco mais, aqui listamos alguns:

  • Falta de qualificação técnica na região: muitas cidades ficam longe de faculdades e/ou cursos técnicos, fazendo com que muitas pessoas apenas concluam o ensino médio e não tenham condições de buscar formação superior;

  • Melhores oportunidades em cidades maiores: não é incomum encontrarmos jovens migrando para os centros urbanos maiores logo após sua formação, em busca de melhores salários. As cidades menores muitas vezes possuem dificuldade de equiparar os salários, pois possuem menos atendimentos no laboratório;

  • Vagas com muitos requisitos: alguns laboratórios possuem muitas exigências relacionadas ao local de formação e ao tempo de experiência, excluindo potenciais candidatos que atenderiam perfeitamente o cargo;

  • Falta de Plano de Carreiras ou Benefícios que motivem: A maioria dos bons colaboradores possuem desejos e ambições, e muitos não se motivam o suficiente sabendo que irão passar o resto da vida fazendo a mesma coisa, ou, ainda, percebendo que seu esforço em fazer do laboratório um lugar melhor não trará benefício profissional, financeiro ou de reconhecimento.

No entanto, não podemos nos desmotivar: quase 14 milhões de pessoas estão desempregadas atualmente, e muita delas estão atrás de uma oportunidade e estão dispostas a trabalhar em prol do laboratório.

Mas como resolver esse problema de qualificação então?

Melhorando a seleção de funcionários e aperfeiçoando seus próprios colaboradores!

Para cargos que requerem graduação ou qualificação técnica, como os bioquímicos/biomédicos do laboratório, não existe saída: você terá que oferecer salários melhores para conseguir técnicos melhores, ou, então, apresentar benefícios mais atraentes, como horários mais flexíveis ou plano de saúde.

Já para cargos para pessoas com ensino médio ou técnico, como é o caso da recepção e coleta, existe uma saída: você mesmo pode aperfeiçoar seus funcionários. Para que isso dê certo, precisamos de dois requisitos mínimos de sucesso:

  • Como você gostaria que o novo colaborador contribuísse para o laboratório;

  • E escolher o perfil certo para a vaga.

O que você espera do colaborador alocado na função?

Para que você está contratando este funcionário? Quais são as necessidades que precisam ser atendidas dentro do laboratório? Quais são as atividades que ele irá executar? Como ele irá executar? Quais são os objetivos que você espera que ele atinja?

É fácil publicar uma vaga: difícil é explicar para o funcionário o que você espera dele. E não estamos apenas falando das funções a serem desempenhadas, mas como ele pode fazer parte da história do laboratório e colaborar para atingir os objetivos que você espera.

Acima de tudo, é preciso treinar e preparar seus colaboradores para fortalecer a organização e atingir excelência nos objetivos principais do laboratório, sejam eles excelência no atendimento, competência técnica ou o que a gestão definir.

Escolhendo as características certas para o Perfil

A experiência é, sim, um requisito importante para a vaga. É mais fácil se você consegue um profissional que já está familiarizado com a rotina, mas quando estamos com possibilidades de contratação escassas, você pode procurar outras características que irão, mais adiante, auxiliar no aperfeiçoamento desse profissional.

Aqui vão algumas características de perfil de funcionários com potencial para o seu laboratório:

1. Energia e entusiasmo: Pessoas positivas e bem engajadas, que estão quase sempre bem-dispostas, tendem a render mais que os funcionários mais antigos do laboratório e, dependendo de como você conduzir, eles podem, inclusive, motivar os demais. Elas também estão mais dispostas a ouvir, aprender e aceitam críticas (construtivas, é claro) como algo que contribuirá para seu futuro profissional.

2. Confiança e boa reputação: Além de terem um bom rendimento, aqueles que detém um perfil confiável respeitam prazos e se esforçam resolver problemas complexos e para alcançar os objetivos propostos por você. Se a indicação desse colaborador, ou as referências anteriores de trabalho forem de confiança, pode ser que você encontre alguém que contribua em peso para o laboratório!

3. Trabalha bem em Equipe: Candidatos com perfil colaborativo e que gostam de trabalhar em equipe amparam os elos mais fracos, evitam situações relacionadas a fofocas e não incentivam a competitividade - que não contribui nada para o clima organizacional.

4. Se identifica com os valores do laboratório: Essa característica é imprescindível para uma contratação de sucesso. Quando o potencial candidato se identifica com os valores e objetivos do laboratório, ele vai se empenhar mais e gostar mais das tarefas que você designar para ele.

5. Resiliência: Essa característica é a capacidade de se adaptar à mudança, enfrentando as dificuldades sem ceder à pressão. Um funcionário resiliente jamais deve ser desperdiçado: ele pode desempenhar com facilidade e boa vontade funções diferentes dentro do laboratório (na ausência de alguém, por exemplo), resolvem conflitos complexos (como problemas relacionados ao atendimento, como um cliente insatisfeito) e terão, quase sempre, dedicação e disposição para fazer seu melhor.

6. Ativo: Pessoas pró-ativas e com disposição para trabalhar são ótimas para o clima da organização. Dificilmente você vai precisar ficar cobrando para que elas façam o seu trabalho, pois elas tentam otimizar sempre o que precisa ser feito, resolvem problemas sem que ninguém peça e gostam de liberdade para lidar com as adversidades da função.

7. Gostar de aprender: Um funcionário com essa característica quer sempre aprender mais e entender a lógica por trás das tarefas que ele está desempenhando. E quase tudo que ele aprende de positivo, dentro ou fora do laboratório, vai ser replicado em suas funções. Na ausência de profissionais qualificados, esta é a característica essencial do perfil que você procura.

É claro que você deve sempre analisar o perfil necessário para desempenhar a função, antes de escolher as características que você deseja para o cargo, pois se você colocar uma pessoa ativa e comunicativa para trabalhar com faturamento de convênios, por exemplo, pode ser que ela se desmotive rápido e saia logo do emprego, fazendo você perder tempo e dinheiro.

Agora que você entendeu um pouco mais das características que você deve procurar em seus candidatos, na próxima pauta daremos algumas dicas de como montar um treinamento otimizado e eficiente para aprimorar esses colaboradores. Fique ligado na parte II!

#profissionais #qualificação #colaboradores #qualificados