whatsapp.png

Faça parte da nossa rede de apoio ao empreendedorismo laboratorial e receba notícias em seu e-mail e material bônus em seu Whatsapp. 

Clique e conheça nossos apoiadores:

Logo aceleralab.png
Cepheid-logo-horizontal.png
SBAC.png
logo.png

Como Tranquilizar os Pacientes e Recuperar o Movimento do Laboratório






Com exceção dos casos de urgência, um número considerável de pessoas está esperando passar a pandemia para consultar um médico, e isso está afetando diretamente o movimento do laboratório. No entanto, com o retorno gradual da atividade econômica, o que já vem ocorrendo em muitos estados, é possível estimular uma parte desse público a voltar a sua rotina de realização de exames. Ficou interessado no assunto? Então continue lendo esta pauta e descubra como tranquilizar os pacientes e recuperar o movimento do seu laboratório.



“Ir ou não ir ao laboratório”, eis a questão



Sob o ponto de vista do paciente, os estabelecimentos de saúde são locais propícios para o contágio do novo coronavírus, o que inclui o laboratório, já que se trata de um lugar que realiza diferentes exames clínicos, incluindo o teste de Covid-19.



Para uma pessoa que está ciente da dimensão do problema atual, o que ocorre com parte do público do laboratório, a decisão de ir ou não até o estabelecimento se dá quando ela pondera que a necessidade de fazer um exame supera o risco de contaminação. Tal lógica é muito comum entre os pacientes com casos mais graves, já que não fazer os exames pode resultar no agravamento de sua doença.



O ponto é que esse “cálculo” de riscos x benefícios também é feito por outros pacientes. Sendo assim, para o público que não se encontra numa situação crítica de saúde voltar a fazer exames, o laboratório deverá convencê-lo de que os cuidados em relação à saúde devem ser prioritários em relação ao risco de contaminação, principalmente porque todos os cuidados possíveis relativos à biossegurança estão sendo tomados.



Assim, como resposta à questão levantada neste item, é possível constatar que os pacientes irão ao laboratório quando os benefícios superarem os riscos.


Para ajudar você a passar ainda mais confiança aos seus pacientes e a recuperar gradualmente o movimento do seu laboratório, separamos algumas dicas rápidas:



Exponha seus procedimentos de segurança



A melhor maneira de tranquilizar os pacientes e convencê-los a realizar seus exames é mostrar que seu laboratório segue à risca os procedimentos de segurança que garantem a sua integridade, sejam eles recomendados pela OMS, pelo Ministério da Saúde ou pelos decretos locais. Para que essa comunicação seja efetiva, é importante que você reforce esse diferencial por diferentes meios, principalmente pelas redes sociais, que tem grande alcance do público. Reforçar a divulgação de depoimentos de pacientes satisfeitos com o atendimento e a segurança do laboratório também pode ajudar na tomada de decisão daqueles que ainda estão indecisos sobre fazer ou não seus exames.



Forneça um atendimento rápido



Os pacientes estão acostumados a ficar longos períodos dentro do laboratório, principalmente no horário de pico, vivenciando duas filas de espera: para ser atendido e, posteriormente, para fazer a coleta; tudo isso enquanto várias outras pessoas circulam pelo mesmo ambiente. Se o paciente tem essa experiência na memória, ele vai, com certeza, evitar o risco de se expor ao vírus, que pode ser bem alto.



Sendo assim, para convencer o paciente a realizar os exames, ele precisa entender que essa realidade mudou, e que o laboratório está adotando, além dos procedimentos de segurança, novos processos para minimizar a estadia dele dentro do laboratório, tais como o pré-atendimento virtual, que agiliza a aprovação dos convênios, o agendamento do exame, que reduz as filas e aglomerações no local, e uma coleta mais ágil.



Se o paciente não tiver que esperar nas cadeiras da recepção para ser atendido e/ou aguardar a chamada para a coleta, você tem um diferencial e tanto para conquistar o movimento do laboratório de volta.



Ofereça opções de coleta alternativas



Se o paciente não quer ir ao laboratório por achar muito arriscado, o estabelecimento pode oferecer opções alternativas de coleta (quando possível): a) coleta domiciliar, principalmente para os grupos de risco, como idosos, gestantes e pessoas com comorbidades; e b) drive-thru de coleta, para que o paciente não tenha que entrar no estabelecimento, evitando assim o risco de levar algum tipo de patógeno para sua casa.



Quem tem as melhores informações convence



Com o advento da era digital, as pessoas aprenderam a procurar por informações e opiniões de outros consumidores antes de comprar qualquer tipo de produto ou serviço. Nesse sentido, para que alguém seja convencido apenas por um vendedor, por exemplo, é porque: está com pressa e não pode esperar para resolver um problema (urgência). Outra possibilidade é que ir até a loja e discutir sobre um produto com o vendedor pode ser mais vantajoso tendo em vista à dificuldade de algumas pessoas de entenderem a tecnologia (reciprocidade da venda consultiva).



Se o cenário não é esse, o consumidor vai pesquisar a reputação do estabelecimento – o que ocorre na maioria das vezes – e buscar entender mais sobre os produtos e serviços disponíveis, além de verificar a opinião de outros clientes, para garantir que fará a melhor escolha.



No que tange à realidade dos laboratórios, esse é o cenário atual. Aqueles que possuem um site completo, redes sociais atualizadas, que oferecem atendimento nas plataformas mais modernas (como o WhatsApp) e que distribuem informações pertinentes, como é o caso dos procedimentos de segurança adotados para resguardar os pacientes e colaboradores, estão convencendo mais pacientes a realizarem exames em seus estabelecimentos.


O retorno gradual do movimento do laboratório depende de muitas questões, tais como a situação econômica da região, o nível de exposição da cidade ao vírus e o retorno da atividade dos consultórios médicos e clínicas. Ainda assim, nada impede que o laboratório tome algumas medidas (seguras e adequadas) para estimular o retorno dos pacientes.


Você conhece alguma medida eficiente para recuperar o movimento do laboratório? Não deixe de compartilhá-la conosco!