whatsapp.png

Faça parte da nossa rede de apoio ao empreendedorismo laboratorial e receba notícias em seu e-mail e material bônus em seu Whatsapp. 

Clique e conheça nossos apoiadores:

Logo aceleralab.png
Cepheid-logo-horizontal.png
SBAC.png
logo.png

Erros que Todos os Gestores podem Cometer


Já falamos algumas vezes em atitudes que auxiliam a atingir o sucesso, mas poucas vezes falamos sobre os comportamentos que devem ser evitados. Para isso, é preciso verificar quais são os erros principais da gestão e criar pontos de atenção para desenvolver melhor o potencial do seu laboratório. No post de hoje, citamos alguns erros que até os gestores mais experientes cometem.

A gestão é responsável por decidir o que será feito para alcançar os resultados estipulados pelo planejamento estratégico. Para alcançar os resultados desejados, é dever do gestor fazer o sincronismo entre o estratégico, o gerencial e o operacional. Sem um posicionamento firme para fazer as coisas acontecerem, pode ser que a sua estratégia vá ficando enfraquecida.

Evite centralizar muitas tarefas em você mesmo

Todos temos limites de produtividade. Ao centralizar muitas atividades que não são pertinentes a gestão, há grandes chances de que se criem gargalos e processos importantes fiquem parados por conta das suas limitações de tempo. Esse comportamento desmotiva a equipe e afeta a produtividade e a criatividade, comprometendo seus resultados.

Não tenha medo de passar tarefas adiante. Se você não confia o suficiente na sua equipe, pode ser que existam problemas maiores, não é mesmo?

Objetivos mal desenhados

Os colaboradores não estão entregando resultados satisfatórios? Pode ser que você não esteja sendo claro o suficiente sobre as metas e objetivos do laboratório.

Quando os colaboradores (e até você mesmo!) não tem objetivos claros, é muito fácil se confundir sobre o que deve ser feito no dia-a-dia. A equipe perde produtividade se não souber no que trabalhar ou qual a importância de desempenhar determinada função. Vale lembrar que também é difícil saber qual tarefa é mais importante do que a outra, o que resulta em tarefas concluídas na ordem errada.

Nós já falamos nessa matéria aqui como definir metas e objetivos. Não vá cometer esse erro!

Falta de motivação com o seu próprio negócio

Gerenciar nem sempre é fácil. Existem altos e baixos dentro da gestão laboratorial, mas estar sempre desmotivado é uma bola de neve de má condutas, pois seus funcionários vão copiar você.

Se você fizer chamadas telefônicas pessoais durante o tempo de trabalho com rotina atrasada, não sair do whatsapp quando a equipe precisa de você e falar negativamente de determinados funcionários para os outros, provavelmente sua equipe vai entender que isto é a conduta esperada.

Como líder, você precisa ser o modelo para sua equipe. Isso significa que se eles trabalham até tarde para colocar a rotina em dia, você deve dar suporte e tentar auxiliá-los. Se sua organização tem uma regra que ninguém come na bancada, então defina o exemplo e dirija-se à sala de descanso todos os dias para o almoço. O mesmo vale para suas atitudes - se você é negativo o tempo todo, não pode esperar que seus colaboradores sejam positivos. Você só enxergará os problemas do seu laboratório se estiver presente quando eles acontecerem.

Lembre-se: sua equipe está observando você o tempo todo. Se você quiser moldar o comportamento deles, comece com o seu próprio. Motive-se. Descubra o que não te agrada no laboratório hoje e mude o cenário para melhor.

Estabeleça limites nos relacionamentos pessoais x profissionais

As pessoas trabalham mais felizes quando possuem uma percepção positiva da gerência, por isso queremos ser vistos pelos colaboradores como amigáveis e acessíveis. No entanto, às vezes você tem que tomar decisões difíceis em relação às pessoas da sua equipe, e pode ser que alguns colaboradores se aproveitem do seu relacionamento amigável para benefício próprio, prejudicando os resultados e a cultura do laboratório.

Isso não quer dizer que você não deva socializar, mas é importante obter o equilíbrio e deixar claro os limites entre ser amigo e gestor.

O primeiro passo para corrigir esse erro é se dar conta de quem você é e qual função desempenha. É comum encontrarmos gestores que passam muito tempo na bancada analisando exames ou coordenando pequenas áreas do laboratório, e que acabam não se dando conta de sua nova função: gestor de laboratório.

Não use a apenas posição de chefe para conseguir as coisas

A arrogância é a principal causa de conflitos dentro do laboratório. Gestores com dificuldade de liderança, normalmente em começo de carreira, querem ser ouvidos, obedecidos e respeitados, e utilizam o “poder” e o “ego” para convencer a equipe de que devem ouvi-lo.

O problema é que muitas vezes isso gera o efeito reverso: quanto mais arrogante você for, menos os colaboradores vão querer lhe obedecer e a produtividade do laboratório pode cair consideravelmente.

É importante ter humildade e entender que se você está começando nem sempre saberá direito onde quer chegar como gestor.

Existem outros motivos para a equipe não respeitar a sua posição de chefe:

- Cultura antiga e funcionários acomodados: funcionários mais antigos podem pensar que sabem mais do que você (e muitas vezes sabem!), mas é importante que eles entendam que alguns processos precisam ser revistos para atualização do laboratório. Não espere que uma cultura mude da noite para o dia: leva tempo e, como já dissemos lá em cima, depende muito de você mesmo.

- Falta de Experiência com as adversidades do negócio: A insegurança é comum, mas nunca deixe que isso te atrapalhe por muito tempo. Leia livros, procure se informar com outros gestores mais experientes e procure melhorar sempre. Não deu certo? Aprenda com os erros e tente de novo.

- Contratações mal feitas: na pressa de ocupar uma vaga de um funcionário recém demitido, podemos escolher alguém sem analisar direito o perfil do profissional, acreditando na primeira impressão causada na entrevista. Contratar as pessoas certas, que querem lhe ajudar e que vestem a camisa do laboratório, além de trazerem melhores resultados, podem inspirar e mover as pessoas mais antigas.

Não esqueça de fornecer feedback

O feedback é uma ferramenta importante para fornecer informações ou críticas sobre uma ação ou comportamento de um indivíduo ou grupo. Essas informações devem ser utilizadas para ajustar ou melhorar as atitudes e comportamentos futuros do colaborador. Sem um feedback formal, os colaboradores têm dificuldade de identificar posturas problemáticas, e acabam entregando menos resultado do que o esperado.

A sua equipe tem ouvido o que você tem a dizer?

Ao dar um feedback, evite:

- Oferecer feedbacks que não ajudem os colaboradores a se desenvolver;

- Quando tudo estiver correto, não dizer nada: você pode pensar que “se não está dando problema, não precisa de ajustes”, mas a sua opinião pode motivar uma equipe que está muito cansada.

Não Esqueça de Abrir Espaço para Receber feedback

Já comentamos que no mundo corporativo, o feedback nada mais é do que o parecer sobre uma pessoa ou grupo de pessoas com o intuito de avaliar o seu desempenho na realização de um trabalho.

Você tem ouvido o que sua equipe tem a dizer?

Os funcionários são os mais intimamente familiarizados com a forma como as coisas estão acontecendo dentro do laboratório - com clientes insatisfeitos, processos que dão errado, etc. - e cabe a você ganhar a confiança da equipe e consultá-la quando for desenvolver soluções e estratégias.

Esse comportamento promove uma cultura de confiança, questionamento e criatividade, onde os seguidores se sentem seguros o suficiente para contribuir com idéias e compartilhar preocupações importantes e ajudar a resolver situações.

Ao receber um feedback, evite as seguintes reações:

- Se defender: vai parecer que você não quer ouvir o que o funcionário tem a dizer! - Induzir intencionalmente o feedback: você quer respostas reais! - Não querer saber mais: faça perguntas, entenda o que a pessoa quis dizer sobre você ou o problema. Não queira parecer orgulhoso e desinteressado. - Reagir ao feedback com conhecimento e expertise: você não precisa dar uma resposta para cada problema levantado.

Não seja 100% irredutível. Abra a sua mente: ouvir o que a equipe pensa de você pode ajudá-lo a se desenvolver melhor como gestor e, até mesmo, motivá-lo de uma forma que você nem imaginava.

Se por acaso você enxergou alguma das atitudes acima em sua realidade, não se desespere: ainda há tempo de mudar. O aprimoramento da gestão é constante e sempre teremos alguma mudança nova para implementar em nossa rotina profissional, por isso a busca por conhecimento é incessante.

#erros #gestão #análisesclínicas