whatsapp.png

Faça parte da nossa rede de apoio ao empreendedorismo laboratorial e receba notícias em seu e-mail e material bônus em seu Whatsapp. 

Clique e conheça nossos apoiadores:

Logo aceleralab.png
Cepheid-logo-horizontal.png
SBAC.png
logo.png

Seu laboratório tem alta produtividade?


Como consequência da concorrência mais acirrada, os gestores de Laboratórios de Análises Clínicas precisam avaliar sua produtividade, analisando o rendimento e a eficiência dos processos.

Mas antes de começar a medir ou aumentar a produtividade do laboratório é preciso mapear o fluxo de trabalho, isto é, a sequência lógica de processos ou atividades que são passadas de um setor para outro. Quanto mais explícito for o fluxo de trabalho, maior a facilidade de controle das tarefas para ganhar tempo, evitar erros e retrabalho.

Para aumentar a produtividade e a competitividade de um laboratório, deve-se buscar um fluxo de trabalho enxuto e ágil. Dessa forma, o negócio tende a ser mais competente nas suas entregas e mais lucrativo.

Alguns indicadores auxiliam o laboratório a mensurar a sua produtividade, e por consequência avaliar e corrigir processos ineficientes. Abaixo, temos algumas dicas de indicativos que podem ser utilizados para verificar como anda a produtividade do seu laboratório.

1. Percentual de exames atrasados Mensurar se os exames estão sendo entregues nos prazos informados é um grande indicador de ineficiências no processo. Obviamente, por conta de diversos fatores nem sempre é possível atingir os 100% do ideal programado. Mas se o seu laboratório consegue atingir bons níveis de exames entregues no prazo, a produtividade é considerada alta.

Note que mesmo os exames realizados em laboratórios de apoio devem ser considerados para o cálculo, afinal é o processo do seu laboratório. Mensure a produtividade das entregas terceirizadas também. 2. Processos gargalos Medir o tempo necessário para cada processo é uma das tarefas mais importantes para descobrir a produtividade da equipe e do laboratório. Através deste indicador, é possível descobrir quais os processos fazem que o seu laboratório chegue ao máximo de eficiência.

Um processo é considerado um gargalo quando ele cria capacidade ociosa nos outros setores do laboratório. Como exemplo, podemos considerar um gargalo quando o atendimento demora 10 minutos para cadastrar o paciente, e a coleta demora 3 minutos. Neste caso, para cada paciente gera-se uma capacidade ociosa na coleta de 7 minutos. Os gargalos podem surgir em qualquer etapa, resultando na redução do desempenho da equipe e impactando negativamente os resultados do setor e do laboratório.

Sabendo quais são os seus processos gargalos em cada setor pode ser mais fácil definir como melhorá-los sem perder a qualidade. Perguntar aos colaboradores pode gerar respostas que indicam o caminho para melhorias. 3. Mensurar o retrabalho O retrabalho tem diversas origens, e o seu resultado final sempre compromete a produtividade. O tempo que os colaboradores perdem refazendo suas atividades poderia ser usado para produzir mais. As causas mais comuns do retrabalho são a falta de treinamento adequado ou a falta de especificações bem definidas do que deve ser feito por cada colaborador dentro de cada setor. É muito importante mensurar o retrabalho e descobrir suas causas. Dessa forma será possível corrigir os processos, qualificar pessoas e investir em ferramentas que aumentem a produtividade.

Por fim é importante salientar que o acompanhamento periódico de indicadores comparativos deve ser feito pelos gestores de laboratório com uma visão holística, permitindo cobrar resultados sem abrir mão da sensibilidade para perceber as dificuldades e os pontos fortes de cada colaborador. Atingir a produtividade a qualquer custo pode trazer consequências negativas para a gestão das equipes.

E você? Utiliza algum indicativo de produtividade que não falamos aqui?

#analisesclinicas #produtividade #altaprodutividade #laboratorio #examesatrasados #processosgargalos #mensuraroretrabalho